top of page

(REDAÇÃO) Plágio: O que é?

Caracteriza-se como plágio a cópia parcial, integral ou conceitual de uma obra sem a apresentação da fonte original ou quando os créditos do trabalho são dados a outra pessoa sem a permissão explícita do autor(a) inicial. Trata-se também de um descumprimento do direito autoral, sendo considerado crime no Brasil e sujeito a punições. O plágio pode acontecer com diferentes conteúdos. Existem casos na música, literatura, academia, fotografia, entre outros.

Ato ou efeito de plagiar; Imitação ou cópia fraudulenta (AURÉLIO, 2012; PRIBERAM, 2012)

Tipos de plágio

O desrespeito aos direitos autorais é dividido em algumas categorias, de acordo com a forma como o plágio pode ser executado. Confira abaixo os principais tipos de plágio:

Plágio integral: diz respeito a cópia integral de um trabalho sem os devidos créditos ao autor. Nesses casos, em um trabalho acadêmico, por exemplo, cada palavra é copiada sem a menção da autoria original. 
Plágio parcial: Ocorre quando partes de um produto é copiada por outrem. Frases de uma música ou partes da sua melodia podem ser utilizadas em outra obra sem autorização e/ou citação da fonte. 
Plágio conceitual/intelectual: corresponde a utilização das ideias, do conceito ou da essência de uma obra.

Plágio é crime

Para a legislação brasileira plágio é crime pois fere o direito autoral defendido na Lei 9.610/98 dos Direitos Autorais. Além disso, o Código Penal Brasileiro, no artigo 184, define que:


Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003)
Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003).

A Lei dos Direitos Autorais também define sanção para plagiadores. Veja: 

Art. 102. O titular cuja obra seja fraudulentamente reproduzida, divulgada ou de qualquer forma utilizada, poderá requerer a apreensão dos exemplares reproduzidos ou a suspensão da divulgação, sem prejuízo da indenização cabível.
Art. 103. Quem editar obra literária, artística ou científica, sem autorização do titular, perderá para este os exemplares que se apreenderem e pagar-lhe-á o preço dos que tiver vendido.

O que não é plágio?

Um conteúdo original, basicamente, é um material produzido com base em referências confiáveis e relevantes, somado à experiência e ao conhecimento do produtor de conteúdo, sempre adequando ao tom de voz do blog, com uma linguagem que converse com a persona e faça sentido para a marca.


Por isso, o primeiro passo para produzir um conteúdo original é entender, de fato, sobre o assunto — e isso se faz por meio de uma leitura atenta às referências e muita pesquisa. Um conteúdo construído sem um conhecimento genuíno poderá apresentar, além de plágio, erros conceituais e problemas de encadeamento de ideias.


Logo, utilizar referências como uma fonte de consulta conceitual, para embasar o processo produtivo, não é plágio.


Eventualmente, é necessário contextualizar algum assunto citando, por exemplo, leis, estudos, pesquisas ou notícias. É comum que essas abordagens tenham uma citação literal da fonte original e as ferramentas de detecção de plágio podem identificar como uma cópia. Desde que a fonte seja citada, acompanhada de um hiperlink, esse tipo de abordagem também não é considerada plágio.


As ferramentas de identificação de plágio também notificam como uma cópia os conteúdos de extensão antes que eles sejam atualizados no blog. Nessa situação, especificamente, o aviso pode ser ignorado, já que se trata de uma atualização na mesma URL e, por isso, não haverá duplicidade de publicação.


Alguns termos massivos também podem ser identificados como plágio pelas ferramentas. Ainda que não sejam, de fato, um plágio, é uma boa prática evitá-los, já que o uso demasiado pode ser mal interpretados pelo Google. Por isso, é uma boa ideia evitar expressões como: “Com o advento da Internet (…)” ou “A leitura deste conteúdo foi útil para você?”.


Como evitar o plágio na redação?

Como dito, o primeiro passo para produzir um conteúdo é entender, de fato, sobre o assunto. Por isso, leia as referências, absorva as informações e faça anotações do que é relevante. Outro ponto importante é consultar fontes distintas, o que garante que você conhecerá diferentes abordagens sobre o assunto e não terá uma visão limitada.


A partir disso, inicie a redação explicando, da sua maneira (e utilizando a linguagem do blog), o assunto estudado, que foi pedido na pauta. Evite utilizar os mesmos exemplos ou as mesmas pesquisas que foram disponibilizadas em uma referência. Sempre busque por dados atualizados e coerentes com a persona.


Caso precise, de fato, citar algo literal de alguma referência, faça a citação direta e deixe a fonte evidente, também em formato de hiperlink — garanta, no entanto, que a fonte não se trata de um concorrente de segmento ou de palavra-chave.


Fonte:

https://rockcontent.com/br/talent-blog/plagio/

https://www.educamaisbrasil.com.br/educacao/dicas/o-que-significa-plagio

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page