top of page

Concordância Verbal

Na concordância verbal, o verbo adapta-se ao número e à pessoa do sujeito, isto é, a conjugação do verbo varia de acordo com o número (singular ou plural) e com a pessoa do sujeito (primeira, segunda ou terceira pessoa). No entanto, é possível encontrar casos específicos que são formados por estruturas que fogem à estrutura mais básica da sintaxe (sujeito simples + verbo + complemento), trazendo, assim, os sujeitos compostos e indeterminados, expressões que indicam quantidade aproximada, porcentagem, orações sem sujeito etc., o que acaba demandando recomendações específicas para que seja feita a concordância.

Existem diversos casos de concordância verbal. Agora, vamos conhecer os principais casos:


Concordância verbal com verbos impessoais O verbo sempre ficará de acordo com a 3° pessoa do singular, uma vez que não existe um sujeito: havia pessoas, houve problemas, faz dois dias, já amanheceu.

Havia três pessoas esperando na fila.

(verbo haver com sentido de existir)

Faz dez anos que não te vejo.

(verbo fazer indicando tempo decorrido)

Aqui onde trabalho, chove todos os dias.

(verbos que indicam fenômenos da natureza)


Concordância com o elemento apassivador "-se" O verbo cria concordância com o objeto direto, que exerce a função de sujeito paciente. Ele pode aparecer no singular ou no plural:

Vende-se apartamento. Vendem-se apartamentos.

Concordância verbal com a partícula de indeterminação do sujeito "-se" O verbo sempre vai concordar com a 3° pessoa do singular quando a frase for formada por verbos intransitivos ou por verbos transitivos indiretos:

Precisa-se de funcionário Precisa-se de funcionários.

Concordância verbal com "a maioria", "a maior parte", "a metade"... Preferencialmente, o verbo vai concordar com a 3° pessoa do singular. Entretanto, a 3° pessoa do plural também pode ser usada:

A maioria dos trabalhadores vai… A maior parte dos trabalhadores vai… A maioria dos trabalhadores vão… A maior parte dos trabalhadores vão…

Concordância verbal com pronome relativo "que" O verbo cria concordância com o termo antecedente do pronome:

Fui eu que pedi… Foi ela que pediu… Fomos nós que pedimos…

Concordância verbal com pronome relativo "quem" O verbo estabelece concordância com o antecedente do pronome ou fica na 3° pessoa do singular:

Fui eu quem solicitou… Fomos nós quem solicitamos… Fui eu quem solicitou… Fomos nós quem solicitou…

Concordância verbal com o infinitivo pessoal O verbo no infinitivo é flexionado sempre que existir um sujeito definido, quando se quiser determinar o sujeito ou quando o sujeito da segunda oração for diferente do da primeira:

Isto é para nós solicitarmos. Eu pedir para eles solicitarem tudo.

Concordância verbal com o infinitivo impessoal O verbo no infinitivo não é flexionado quando não existir um sujeito definido, quando o sujeito da segunda oração for igual ao da primeira oração, em locuções verbais, com verbos preposicionados e com verbos imperativos:

As mães conseguiram entender a verdade. Foram obrigadas a entender a verdade. Foram barradas de entender a verdade.

Concordância verbal com o verbo "ser" O verbo cria uma concordância com o predicativo do sujeito, podendo ficar no singular ou no plural:

Isto é uma mentira, Isto são mentiras; Quem é você, Quem são vocês.

Concordância verbal com "um dos que" O verbo sempre vai concordar com 3° pessoa do plural:

Um dos que foram… Um dos que querem… Um dos que podem…
3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page