Especialistas criticam gás em estádio da Copa Presença de meia tonelada de gás armazenado no subsolo

(Levi Guimarães, enviado iG | 06/04/2010 14:41)


Representantes da Associação Sul-Africana de Gás e Petróleo revelaram estar preocupados com o armazenamento de cerca de meia tonelada de gases inflamáveis no subsolo do estádio Moses Mabhida, na cidade de Durban, a terceira maior entre as nove sedes da Copa de 2010. A entidade afirma que uma explosão acidental nas atuais condições de armazenamento poderia provocar a destruição de todo um lado do estádio. Por isso, a recomendação é de que os botijões de gás fossem mantidos em uma área externa, e não no interior da arena. “Não estou satisfeito com o local em que o gás está, mas nós não fomos realmente ouvidos a respeito. Preferíamos que o gás ficasse fora, em uma área aberta, ventilada e segura, sem acesso do público. É assim que funciona normalmente em locais com circulação de grandes massas, como em shoppings centers”, afirmou o especialista em instalações Bob de Lange. “Outra alternativa seria uma armazenagem subterrânea, mas ainda assim bem ventilada e com uma estrutura anti-incêndio. Mas atualmente o gás no estádio está separado das arquibancadas apenas por uma camada de concreto. Se um tubo explodir, será um acidente infeliz, mas se dois explodirem podem destruir parte das arquibancadas”, completou. A principal reclamação da Associação é de que o corpo de bombeiros local teria ignorado o alerta, além de ter aprovado as instalações sem exigir o cumprimento das normas nacionais de segurança. Lange admite que “tecnicamente, é uma instalação legal”, mas lamenta não ter obtido uma resposta à carta que mandou para os bombeiros expondo a preocupação. Contudo, o gerente do distrito de eThekwini, onde fica a cidade de Durban, Michael Sutcliffe, garante que as instalações de armazenamento do gás, que servirá para abastecer cozinhas e restaurantes no estádio, não traz qualquer ameaça ao público. “Essas instalações são similares àquelas que encontraríamos em qualquer shopping center. A única diferença é que nossas instalações são ainda mais seguras. Elas inclusive excedem os padrões nacionais para prevenção de acidentes”, diz Sutcliffe. Ele ainda citou a avaliação de uma consultoria externa, segundo a qual mesmo no caso de explosão, não haveria qualquer perigo de desabamento das arquibancadas. A área de armazenamento, segundo essa análise, é ventilada o suficiente para impedir que seja criada a pressão necessária para causar um dano estrutural.


Disponível em: http://copa2010.ig.com.br/especialistas+criticam+gas+em+estadio+da+copa/n1237570320494.html

 

Imagem 1

 

A) “Especialistas criticam gás em estádio da Copa”.

B) “Mas atualmente o gás no estádio está separado das arquibancadas apenas por uma camada de concreto”.

C) “(...) o gerente do distrito de eThekwini, (...) Michael Sutcliffe, garante que as instalações de armazenamento do gás (...) não traz qualquer ameaça ao público”.


Imagem 2

 


Sugestão de aula disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=18952


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo