top of page

[LINGUÍSTICA E SEMIÓTICA] Progressão referencial: cadeias referenciais e encapsulamentos

Atualizado: 21 de jan.

A sinfonia complexa da linguagem, a progressão referencial emerge como uma habilidade sutil e poderosa, permitindo que a escrita se desdobre de maneira coesa e compreensível. Neste artigo, exploraremos os conceitos de cadeias referenciais e encapsulamentos, dois elementos cruciais que desempenham papéis fundamentais na arte da progressão referencial.


Progressão Referencial: Um Ballet de Palavras e Conceitos

Definição: A progressão referencial refere-se à habilidade de conectar elementos em um texto de maneira que o significado flua suavemente, mantendo a coesão e evitando ambiguidades. Cadeias referenciais e encapsulamentos são estratégias específicas que contribuem para essa fluidez.


Cadeias Referenciais: A Dança Harmoniosa dos Pronomes e Substantivos

Conceito: Uma cadeia referencial ocorre quando um termo é referido repetidamente ao longo de um texto, utilizando pronomes ou substantivos relacionados. Isso cria uma continuidade e coesão, permitindo que o leitor siga a linha de pensamento do autor de maneira clara.


Exemplo:"João comprou um livro. Ele estava ansioso para começar a leitura. O livro que ele escolheu era um clássico da literatura."


Aplicação Prática: O uso eficiente de cadeias referenciais evita a repetição excessiva de termos, tornando o texto mais fluido e agradável para o leitor. É uma técnica valiosa para evitar a monotonia e manter o engajamento.


Encapsulamentos: O Teatro das Palavras que Sintetizam

Conceito: Os encapsulamentos permitem que informações sejam sumarizadas por meio de formas pronominais ou nominais, criando uma síntese eficiente de um trecho anterior ou posterior do texto.


Exemplo:"Maria adorava pintar. Suas obras, cheias de cores vibrantes, eram verdadeiras expressões de sua alma. A artista dedicava horas ao seu trabalho, encontrando inspiração na natureza ao seu redor."


Encapsulamento: "Maria adorava pintar. Suas obras, cheias de cores vibrantes, eram verdadeiras expressões de sua alma."


Aplicação Prática: Os encapsulamentos são ferramentas valiosas para evitar a redundância e sintetizar informações essenciais, proporcionando uma leitura mais concisa e eficiente.


Cadeias referenciais e encapsulamentos são recursos linguísticos que são encontrados em qualquer tipo de texto, seja ele escrito ou falado. No entanto, é mais fácil observá-los em textos mais longos, como artigos, livros e até mesmo em redações de vestibulares.

Um exemplo de cadeia referencial pode ser visto no seguinte texto:

O Brasil é um país continental, com uma grande diversidade de climas e paisagens. O clima tropical é o mais predominante, e está presente em grande parte do país. As paisagens brasileiras são também muito variadas, incluindo florestas, savanas, montanhas e praias.

Neste texto, o referente "Brasil" é introduzido na primeira frase e é retomado nas frases seguintes por meio de expressões como "o país", "essa nação", "esse território". Essas expressões formam uma cadeia referencial, que permite ao leitor identificar o referente ao longo do texto.


Um exemplo de encapsulamento pode ser visto no seguinte texto:

O desmatamento na Amazônia é um problema ambiental sério. A derrubada de árvores na floresta pode causar uma série de consequências negativas, como a redução da biodiversidade, o aumento do efeito estufa e a alteração do regime de chuvas.

Neste texto, a expressão "desmatamento na Amazônia" é encapsulada pela expressão "essa destruição". O encapsulamento permite ao autor retomar o referente "desmatamento na Amazônia" de forma mais concisa e eficiente.

Além de textos, as cadeias referenciais e os encapsulamentos também podem ser encontrados em outros tipos de produção textual, como palestras, apresentações e até mesmo em conversas cotidianas.

Aqui estão algumas dicas para encontrar cadeias referenciais e encapsulamentos em textos:

  • Preste atenção às palavras e expressões que são usadas para retomar um referente que já foi mencionado anteriormente.

  • Observe se as expressões que retomam um referente são mais curtas ou mais longas do que o referente em si.

  • Considere o contexto em que as expressões são usadas para determinar o seu significado.

Com um pouco de prática, você será capaz de identificar cadeias referenciais e encapsulamentos em qualquer tipo de texto.


Na construção textual, a progressão referencial é uma arte delicada que, quando dominada, enriquece a experiência de leitura. Cadeias referenciais e encapsulamentos são ferramentas hábeis que tecem as palavras em uma tapeçaria coesa, permitindo que os leitores se movam suavemente pelo enredo ou argumento apresentado. Ao compreender e aplicar esses conceitos, os escritores capacitam suas palavras a dançarem em harmonia, criando uma experiência literária memorável e envolvente.


Atividades de fixação sobre anáforas diretas e indireta


(Enem-2009)

Páris, filho do rei de Troia, raptou Helena, mulher de um rei grego. Isso provocou um sangrento conflito de dez anos, entre os séculos XIII e XII A.C. Foi o primeiro choque entre o ocidente e o oriente. Mas os gregos conseguiram enganar os troianos. Deixaram à porta de seus muros fortificados um imenso cavalo de madeira. Os troianos, felizes com o presente, puseram-no para dentro. À noite, os soldados gregos, que estavam escondidos no cavalo, saíram e abriram as portas da fortaleza para a invasão. Daí surgiu a expressão "presente de grego".

Questão 1. Em "puseram-no", a forma pronominal "no" refere-se:

A) ao termo "rei grego". B) ao antecedente "gregos". C) ao antecedente distante "choque". D) à expressão "muros fortificados". E) aos termos "presente" e "cavalo de madeira".


(Enem-2014)

Há qualquer coisa de especial nisso de botar a cara na janela em crônica de jornal ‒ eu não fazia isso há muitos anos, enquanto me escondia em poesia e ficção. Crônica algumas vezes também é feita, intencionalmente, para provocar. Além do mais, em certos dias mesmo o escritor mais escolado não está lá grande coisa. Tem os que mostram sua cara escrevendo para reclamar: moderna demais, antiquada demais.
Alguns discorrem sobre o assunto, e é gostoso compartilhar ideias. Há os textos que parecem passar despercebidos, outros rendem um montão de recados: “Você escreveu exatamente o que eu sinto”, “Isso é exatamente o que falo com meus pacientes”, “É isso que digo para meus pais”, “Comentei com minha namorada”. Os estímulos são valiosos pra quem nesses tempos andava meio assim: é como me botarem no colo ‒ também eu preciso. Na verdade, nunca fui tão posta no colo por leitores como na janela do jornal. De modo que está sendo ótima, essa brincadeira séria, com alguns textos que iam acabar neste livro, outros espalhados por aí. Porque eu levo a sério ser sério… mesmo quando parece que estou brincando: essa é uma das maravilhas de escrever. Como escrevi há muitos anos e continua sendo a minha verdade: palavras são meu jeito mais secreto de calar.

LUFT, L. Pensar é transgredir. Rio de janeiro: Record, 2004.


Questão 2. Os textos fazem uso constante de recurso que permitem a articulação entre suas partes. Quanto à construção do fragmento, o elemento


A) “nisso” introduz o fragmento “botar a cara na janela em crônica de jornal”. B) “assim” é uma paráfrase de “é como me botarem no colo”. C) “isso” remete a “escondia em poesia e ficção”. D) “alguns” antecipa a informação “É isso que digo para meus pais”. E) “essa” recupera a informação anterior “janela do jornal”.


(Enem-2016)


“Ela é muito diva!”, gritou a moça aos amigos, com uma câmera na mão. Era a quinta edição da Campus Party, a feira de internet que acontece anualmente em São Paulo, na última terça-feira, 7. A diva em questão era a cantora de tecnobrega Gaby Amarantos, a “Beyoncé do Pará”. Simpática, Gaby sorriu e posou pacientemente para todos os cliques. Pouco depois, o rapper Emicida, palestrante ao lado da paraense e do também rapper MV Bill, viveria a mesma tietagem. Se cenas como essa hoje em dia fazem parte do cotidiano de Gaby e Emicida, ambos garantem que isso se deve à dimensão que suas carreiras tomaram através da internet — o sucesso na rede era justamente o assunto da palestra. Ambos vieram da periferia e são marcados pela disponibilização gratuita ou a preços muito baixos de seus discos, fenômeno que ampliou a audiência para além dos subúrbios paraenses e paulistanos. A dupla até já realizou uma apresentação em conjunto, no Beco 203, casa de shows localizada no Baixo Augusta, em São Paulo, frequentada por um público de classe média alta.

Disponível em: www.cartacapital.com.br. Acesso em: 28 fev. 2012 (adaptado).


Questão 3. As ideias apresentadas no texto estruturam-se em torno de elementos que promovem o encadeamento das ideias e a progressão do tema abordado. A esse respeito, identifica-se no texto em questão que:

A) a expressão “pouco depois”, em “Pouco depois, o rapper Emicida”, indica permanência de estado de coisas no mundo. B) o vocábulo “também”, em “e também rapper MV Bill”, retoma coesivamente a expressão “o rapper Emicida”. C) o conectivo “se”, em “Se cenas como essa”, orienta o leitor para conclusões contrárias a uma ideia anteriormente apresentada. D) o pronome indefinido “isso”, em “isso se deve”, marca uma remissão a ideias do texto. E) as expressões “a cantora de tecnobrega Gaby Amarantos, a ‘Beyoncé do Pará'", “ambos” e “a dupla” formam uma cadeia coesiva por retomarem as mesmas personalidades.

161 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page