1.png

Interpretação de textos: como analisar questões de prova

A interpretação de texto é muito importante para fechar todas as questões de uma disciplina. Aquele que consegue compreender melhor o texto tem mais chances de passar na prova. Este artigo é para você concurseiro de plantão que quer melhorar a interpretação dos textos nas questões. Compreender o texto nos concursos é muito mais simples do que parece e nós temos dicas para você. Confira:

1. Leia duas vezes o texto.

Uma boa dica é ler o texto duas vezes, se tiver tempo. Primeiro leia rápido e sem parar, não se importando com as partes que não foram entendidas. Compreendida a unidade do texto, o principal dele, leia novamente com mais atenção aos detalhes.

2. Observe que um parágrafo em relação ao outro.

As ideias desenvolvidas em cada parágrafo devem estar relacionadas com a ideia principal do texto.  Um parágrafo em relação ao outro pode indicar uma continuação ou uma conclusão ou, ainda, uma falsa oposição.

 

3. Destaque a ideia mais importante.

Circule as palavras principais - são as palavras mais difíceis e mais repetidas pelos autores aquelas principais sobre o tema da escrita - e sublinhe frases importantes - normalmente são as frases que contém as palavras circuladas.

 

4. Entenda direito a intenção do que foi pedido.

Ler com muito cuidado os enunciados das questões para entender direito a intenção do que foi pedido. Analise o conteúdo e o que ele propõe, separando informações, concordâncias e discordâncias. Por isso, anote o que entendeu. Escreva na margem da folha a ideia que você teve e o que você entendeu naquela página ou parágrafo.

 

5. Sublinhe palavras como: erro, incorreto, correto.

Preste atenção ao que foi colocado no enunciado. Por vezes, as bancas costumam colocar palavras como “incorreto”, “correto”, “exceto” para poder pegar concurseiros que estejam desatentos. Alguns concurseiros chamam esses pequenos detalhes de casca de banana. Então leia com cuidado o enunciado e, se tiver alguma palavra “casca de banana”, marque imediatamente para que você saiba com o que está lidando. 

 

6. Escreva a ideia mais importante

Se você estiver tendo algumas dificuldades na segunda leitura, marque o texto ou indique as frases que definem melhor aquilo que você está lendo. É recomendável que você faça anotações resumindo a ideia do parágrafo, assim você estará explicando com suas palavras e de forma resumida o que está escrito.

 

7. Leve em consideração o que o autor disse.

Quantas vezes lemos um texto e não concordamos com as informações ali colocadas? No dia a dia, ao percebermos isso, basta mudar a página e ler outro texto mais agradável ou com ideologias ou informações com as quais compartilho. 

Portanto, deixe de lado suas convicções, e assuma uma postura altamente impessoal e imparcial. Analise o texto, somente ele.

8. Se o enunciado mencionar tema ou ideia principal, o que fazer?

Se o enunciado mencionar tema ou idéia principal, deve-se examinar com atenção a introdução e/ou a conclusão. É ali onde o autor vai dizer de forma concisa a ideia central do texto e o seu posicionamento acerca daquilo. Ou seja, ele vai apresentar o assunto a partir de um tópico frasal, que é uma opinião geral relacionada ao tema, e em seguida vai dizer se é contra, a favor ou qual é a importância de se discutir sobre isso. Na conclusão, o texto deve reafirmar a tese da introdução e relembrar o leitor do que foi dito.

 

9. Se o enunciado mencionar argumentação, o que fazer?

Se o enunciado mencionar argumentação, deve preocupar-se com o desenvolvimento. É ali onde o autor irá detalhar tudo aquilo que foi dito na introdução. O objetivo do desenvolvimento é provar ao leitor o ponto de vista do autor, ou seja,  os argumentos que embasam e fundamentam o posicionamento dele no texto. 

 

10. Tome cuidado com os vocábulos relatores.

Os conectores discursivos são responsáveis pela articulação e progressão textuais. A utilização adequada desses recursos possibilita a redação de um texto claro e eficiente. Assim, os conectores discursivos são os responsáveis pela sequenciação de ideias entre as orações e os períodos e possibilitam também um processo de paragrafação bem estruturado, sendo essenciais à manutenção do eixo temático que o autor pretende desenvolver.