1.png

Concordância Nominal

A concordância nominal trata especificamente da concordância de gênero e número que deve ocorrer entre um nome (o substantivo) e os outros termos da sentença que o modificam (adjetivos, artigos, pronomes e até mesmo numerais). Além dessa regra geral, há casos específicos que podem gerar muitas dúvidas, como o que ocorre com as expressões “é proibido”, “menos”, “anexo”, “meio” etc.

Veja abaixo alguns exemplos de quando a concordância nominal acontece:

- Adjetivo e único substantivo;
- Pronome indefinido neutro;
- Com expressões;
- Adjetivo e verbo ser;
- Com a palavra “só”;
- Números ordinais;
- Com a palavra “meio”.

A) adjetivo e um substantivo: quando estiver relacionado a somente um substantivo, o adjetivo deve concordar em gênero e número.

Exemplo: Os braços trêmulos denunciavam o que sentia.


B) adjetivo com mais de um substantivo: há duas formas de fazer a concordância nominal, com o adjetivo anteposto e posposto.

 

I) Anteposto: no caso do adjetivo vir antes do substantivo, ele irá concordar em gênero e número com o substantivo mais próximo.

Exemplo: Velhas pastas e livros estavam sobre a estante.

Mas se ocorrer dos substantivos serem nomes próprios ou de parentescos, a concordância nominal será no plural.

Exemplos:

• As adoráveis Carla e Marcela almoçaram de manhã;
• Encontraram as divertidas tias e tios na festa.

II) Posposto: caso o adjetivo esteja após o substantivo, ele irá concordar com mais o próximo. Também pode concordar com todos, mas irá prevalecer o plural masculino, independentemente de ter feminino na oração.

Exemplo: O computador estava com a imagem e o som desfocados.

E se ocorrer do substantivo ser do mesmo gênero, o adjetivo pode permanecer tanto no singular quanto no plural.

Exemplos:

• A beleza e a inteligência feminina / A beleza e a inteligência femininas;
• O carro e o celular seminovo / O carro e o celular seminovos.

 


C) pronome indefinido neutro: com pronomes indefinidos neutros como nada, muito, tanto, algo, mais a preposição “de”, geralmente o adjetivo irá ficar no singular e no masculino.

Exemplos:

• Sua mãe tem algo de encantador;
• Seu pai tem algo de encantador;
• Elas não tem nada de misterioso;
• Eles não tem nada de misterioso.

D) expressões "é proibido", "é bom", "é preciso", "é necessário", etc.: com essas expressões ou outras equivalentes, e sem qualquer elemento determinante, os adjetivos não serão flexionados.

Exemplos:

• Água é bom para a saúde;
• É proibido entrada de animais;
• É necessário proteção das crianças.

Mas caso tenha elementos determinantes, o adjetivo irá variar em número e gênero.

Exemplos:

• A água é boa para a saúde;
• É proibida a entrada de animais;
• É necessária a proteção das crianças.

E) adjetivo e verbo "ser": caso o verbo "ser" venha acompanhado de um adjetivo, esse deverá estar no masculino.

Exemplo: Paciência é necessário.

Contudo, quando o substantivo vier junto a um elemento determinante, como um artigo, o objetivo irá concordar com o substantivo.

Exemplo: A paciência é necessária.

F) “só” de sozinho: quando a palavra estiver correspondendo ao solitário, ao sozinho, ele irá concordar em número com o substantivo que o caracteriza.

Exemplo:

• Manuela e Cristina estão sós;
• Cristina está só.

Se “só” assumir a função de advérbio e corresponder ao significado de unicamente, de somente, ele é invariável.

Exemplos:

1. Ele só falou baboseiras;
2. Aluga-se apartamento por um mês só.

G) numeral ordinal: números ordinais antepostos ao substantivo serão opcional à concordância nominal. Então, os substantivos podem ficar no plural ou singular.

Exemplo: A terceira e quinta casa / A terceira e quinta casas.

E se o número estiver posposto ao substantivo, deve estar no plural. Exemplo: As casas segunda e terceira.

H) “meio”: caso a palavra “meio” esteja se referindo a um numeral (metade), ele será variável.

Exemplos:

• É meio dia e meia;
• Ela cozinhou meio bolo sozinha;
• Ele tem meia garrafa de vinho;
• Ela ganhou meio litro de vinho;

Observações:

1. A palavra “meia” em meio-dia e meia concorda com a palavra “hora” que está subentendida na expressão.
2. Às vezes, por “concordância atrativa” ou influência do adjetivo, “meio-dia e meio” fica no masculino, por causa da atração masculina com a forma “meio-dia”.

Se a palavra “meio” assumir a função de advérbio de intensidade, será inflexível.

Exemplos:

• Existem maridos que são meio surdos;
• Janela meio aberta;
• Ela está meio distraída.

Exercícios

  • Concordância Nominal - Lista 1

Online